Definidas regras para o trafego sobre a ponte Rio Negro

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM) fixou as regras para o tráfego de veículos e pedestres na Ponte Rio Negro, que será liberada para a população no dia 25 de outubro, a partir das 5h. Veículos automotores de todos os portes terão permissão para circular na ponte, sem restrição de horário para os automóveis pesados. Com a entrada em funcionamento, a ponte ficará aberta 24 horas por dia.

O trânsito de bicicletas na ponte não será autorizado, em razão do fluxo intenso de veículos e da alta velocidade na via, explica a diretora do Detran-AM, Mônica Melo. “Além da alta velocidade e do fluxo intenso, não há ciclofaixas ou ciclovias que comportem esse tipo de locomoção com segurança”, frisou. O transporte de passageiros por táxi-lotação e mototáxi também não será permitido, conforme o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Os pedestres poderão andar na ponte em área reservada para esse fim, nas partes laterais.

A velocidade máxima ao longo da ponte será de 60 quilômetros por hora. Para controlar o fluxo de veículos e pedestres, assim como as regras estabelecidas no CTB, o Detran-AM terá uma estrutura permanente de fiscalização com dez câmeras para o monitoramento do tráfego e averiguação da placa dos automóveis, redutores móveis de velocidade e um guincho para a remoção de veículos, além da presença permanente de dez agentes de transito do órgão e da Companhia de Trânsito da Polícia Militar (Ciatran). A estrutura ficará no Centro de Controle de Operações, uma base montada na cabeceira da ponte, em Manaus, onde vários órgãos do Governo Estadual trabalharão no monitoramento e controle da movimentação.

Os automóveis não vão poder parar ao longo da ponte. Em caso de pane no veículo, o motorista deverá utilizar os equipamentos de sinalização que indiquem que o veículo está parado, em razão de pane mecânica, até a sua retirada. Não será permitido estacionar nas vias de acesso à ponte, tanto em Manaus quanto em Iranduba, no limite de 500 metros até a cabeceira.

No Centro de Controle, a Defesa Civil Estadual está montando uma estação meteorológica para fazer o monitoramento das condições do tempo para maior segurança no tráfego de veículos e pedestres na ponte. Em caso de tempestades com ventos acima de 60 quilômetros, haverá a interrupção do trânsito de veículos e de pedestres pelo Detran-AM. A medida será tomada para a segurança dos usuários, sem qualquer risco de danos para a estrutura do empreendimento, que foi projetado para suportar ventos com velocidades de até 140 quilômetros por hora.

Acessos viários

As obras de adaptação viária na Avenida Brasil, no bairro da Compensa II, Zona Oeste da cidade, realizadas para abrir uma nova passagem para os veículos que saem da Avenida Coronel Cyrillo Neves (antiga Estrada da Estanave), que vai até a cabeceira da Ponte Rio Negro, além das intervenções no entroncamento com a Avenida Coronel Teixeira já estão sendo finalizadas pela Secretaria da Região Metropolitana de Manaus (SRMM). As obras visam dar maior fluidez ao tráfego de veículos no entorno da ponte.

Em determinados horários de pico, principalmente nesse início da abertura da ponte, quando o fluxo de veículos deve ser grande por conta da vontade das pessoas de conhecer e atravessar pela ponte, haverá retenções. Mas todo o entorno foi preparado e está sendo bem sinalizado de forma a garantir a total segurança e fluidez da via”, adiantou Mônica Melo.

Transporte Coletivo

O Governo do Amazonas conclui, neste final de semana, a construção do ponto de embarque e desembarque de passageiros que virão para Manaus no transporte urbano de Iranduba, após a inauguração da Ponte Rio Negro. O terminal funcionará na rua do Bombeamento, na Compensa II, Zona Oeste da cidade. A rua é uma das vias de acesso a Avenida Coronel Cyrillo Neves (antiga Estrada da Estanave), na cabeceira da Ponte Rio Negro.

Na mesma rua do ponto de embarque e desembarque funciona, também, o terminal dos ônibus do bairro da Compensa. “A escolha foi feita no sentido de facilitar o embarque e desembarque para a população”, frisou o presidente da Agência Reguladora dos Serviços Públicos Concedidos do Amazonas (Arsam), Fábio Alho.

Do terminal da Compensa saem nove linhas de ônibus para diversas zonas de Manaus, com entrada nos terminais de integração da avenida Constantino Nery (T1) e da Cachoeirinha (T2). Ao todo, as linhas possuem 76 ônibus, segundo informações do Instituto Municipal de Trânsito e Transporte.

São as linhas 121 (Vila Marinho – Centro), 119 (Compensa – Centro), 013 (Compensa Ceasa), 115 (Avenida Brasil Cachoeirinha), 116 (Compensa – Praça da Saudade), 118 (Santo Agostinho – T2), 128 (Santo Agostinho Alvorada), 129 (Santo Agostinho Educandos) e 127 (Santo Agostinho Avenida Brasil Centro).

Em Iranduba, o transporte urbano é feito por duas empresas privadas que operam com um total de 20 ônibus. Eles percorrem trechos urbanos e rurais do município e cobram uma tarifa de R$ 3,50. A rota das linhas dentro do município não será alterada. A única mudança será a expansão do itinerário até a cabeceira da ponte, em Manaus. Em Manaus, a tarifa cobrada pelo sistema de transporte urbano é de R$ 2,25.

Anúncios
Explore posts in the same categories: Imprensa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: